Infraestrutura

Mineração e energia

O município de Lavras do Sul tem sua origem na extração do ouro. Nos séculos XVIII e XIX, exploradores europeus, canadenses e brasileiros de diversas regiões faziam a coleta das pepitas de ouro.

A região possui, embora dentro de seu subsolo e com baixa exploração, um grande potencial de recursos minerais. O ouro esgotou-se em meados dos anos 1980 e há algum tempo a mineração deixou de ser explorada. Porém, é comprovado que existem jazidas a serem exploradas em vários locais do subsolo do interior do município.

Minerais como granito, amianto, calcário, quartzo, pirita (variedade de ouro), talco e caulim, entre outros, podem ser encontrados no município.

A mineração em Lavras deu origem, ainda, ao padroeiro da cidade, Santo Antônio. Diz a lenda que uma das pepitas adquiridas às margens do Arroio Camaquã das Lavras apresentava em sua forma uma imagem de Santo Antônio.

Outra lenda que se propagou com relação a exploração aurífera em Lavras é a de que a Igreja Matriz de Santo Antônio, no centro, foi construída em cima de uma mina de ouro.

O ouro de Lavras do Sul pode ser associado ao granito rapikiwi (estilo de rocha), de origem vulcânica e pré-cambriana (início da formação da Terra).

A área de mineração de Lavras do Sul é de aproximadamente 60 km², tendo como locais mais importantes do desenvolvimento dessa atividade o Arroio do Jaques, São José da Itaoca, Vista Alegre, Cerrito e Volta Grande. Estes locais fazem parte da história da mineração no município.

Além disso, podemos citar diversas minas ao longo dessa área de mineração, a maioria desativadas ou com suas reservas auríferas esgotadas, tais como: Boa Vista, Bloco do Butiá, Umbu, Capororoca, do Castelhano, Guampa de Ferro, Lagoa Negra, Cerro do Tigre, Saraiva, Giloca, São José, Invernada da Cachoeira, Aurora, Dourada, Goiabeira, Saint Clément, Mato Feio, Lavadeiro, Chapéu de Ferro, Toca do Euzébio, do Rodeio, Cerro Rico, Merita, Sanga do Mata-Fome, Galeria do Monstro.

Lavras do Sul dispõe de uma ótima rede de energia elétrica, tanto urbana, como rural. Os blecautes (ou apagões) são difíceis de acontecer na cidade, o que garante energia por bastante tempo ao longo do ano.

Nas últimas décadas, a zona rural passou a receber as vantagens e confortos da eletricidade. Em 2005, a localidade da Meia Lua foi beneficiada com a instalação de eletrificação rural, através do programa Luz Para Todos, do Governo Federal, dando a oportunidade de melhor utilização de recursos agropecuários para 85 famílias da localidade.

Praticamente toda a sede municipal é iluminada com lâmpadas de mercúrio, que proporcionam boas condições de iluminação durante toda a noite, nas principais ruas.

O município de Lavras é atendido pela Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE).

Comércio

Lavras possui cerca de 200 estabelecimentos comerciais. A cidade conta com seis lojas de departamentos (Comeve, Obino, Soprovet, MD, Ponto Econômico e Becker), além de vários supermercados de pequeno e médio porte, como as padarias São José e Três Estrelas, e os mercados Bittencourt e Nova Era, entre outros. Podemos encontrar, ainda, diversos serviços, como: bazares (como por exemplo, o Palima, que funciona também como estúdio fotográfico), além de diversos serviços, como padarias, fruteiras, açougues, lojas de moda, informática, loteria, agência dos correios, três agências bancárias (Banco do Brasil, Banrisul e Sicredi), posto telefônico, hotel, farmácias, loja de CD's e vídeo locadora, salões de beleza, borracharias, distribuidora de bebidas, consultórios médicos, escritórios de advocacia, academia, entre outros.

O comércio faz com que a cidade seja auto-suficiente nos mantimentos básicos, suprindo as necessidades de todos os habitantes.

Datas de Inauguração dos principais estabelecimentos de hospedagem, alimentação e bares do município:

* Churrascaria Freitas - 1956
* Hotel Central - julho de 1974
* Restaurante Central - julho de 1974
* Hotel São José - 1976
* Camping Municipal (Balneário do Paredão) - 1978
* Telúrica Bar - 1983
* Cabanas do Paredão - 1992
* Hotel Saint Clement - agosto de 1993 (atualmente desativado)
* Hotel Fazenda do Sobrado - 1993 (atualmente desativado)
* Hotel Fazenda Quero-Quero - 1993
* Hotel Fazenda São Marcos - 1993
* Confeitaria e Lancheria Doce Companhia - 1996 (atualmente desativada)
* Sabor da Terra (produção do Café Campeiro), Benedito Bar e Xis do Zildo - Década de 2000
* Casablanca - 2006
* Pousada La-Bella - 2007
* Pousada Raio de Sol - 2008

Lavras dispõe de diversos serviços, que atendem a todas as necessidades dos habitantes.

Atividades diversas

Indústria: Não há grandes indústrias, apenas algumas micro-empresas que realizam trabalhos artesanais e com produção sem objetivos de produção em grande escala.

Pesca: A pesca também não é muito desenvolvida, sendo realizada apenas em açudes do inteiror do município, onde há a coleta de traíras, tilápias e carpas.

Silvicultura: A silvicultura começa aos poucos a ser executada, com a plantação de eucaliptos e pínus, para o chamado reflorestamento.

Sistema bancário: Lavras do Sul conta, em 2008, com quatro agencias bancárias:

* Banco do Brasil: localizado na esquina da Cel. Meza com a Dr. João Bulcão. É a maior agência bancária do município;
* Banrisul: outro tradicional banco com representação em Lavras, na rua Dr. Pires Porto;
* Sicredi: inaugurado na década de 2000, é bastante utilizado para crédito e cooperação rural. Localiza-se na Pires Porto, bastante próximo ao Banrisul.
* Posto bancário da Caixa Econômica Federal: numa lotérica, também na Pires Porto.

Outros bancos já estiveram em atividade no município, como os extintos Meridional e Caixa Econômica Estadual.

Transportes

A seguir, características dos meios de transporte na cidade e no interior de Lavras.

Rodovias: Depois de várias décadas com o acesso rodoviário a Caçapava e Porto Alegre sendo feito exclusivamente por estradas de chão, somente em 1990 este acesso foi asfaltado, após muita luta dos governos locais em relação ao Executivo Estadual. Todavia, a ligação com Bagé (continuação da RS-357 e RST-473) permanece sem asfalto. O asfaltamento dessas rodovias é um antigo sonho lavrense, pois possibilitaria um acesso mais rápido e econômico, uma melhoria do escoamento da produção agropecuária e de mineração e, assim, uma melhoria das condições de vida e de uma melhor integração com essa cidade, distante 81 km de Lavras, que é o maior centro urbano da região da Campanha, com cerca de 120 mil habitantes.

Lavras possui mais de 1 000 km de vias municipais. Para a Capital, as vias de acesso rodoviário a cidade são a RS-357, BR-392 e BR-290. Há linhas de ônibus todos os dias para cidades da região (Caçapava do Sul, Bagé, Dom Pedrito, Santa Maria, Cachoeira do Sul), bem como para a Capital do Estado. A estação rodoviária localiza-se no início da avenida Coronel Galvão, e abre em horários alternados.

Para a ligação do centro com o Uruguai (denominação local para o lado da cidade separado do centro pelo arroio Camaquã das Lavras), existem três pontes, apesar de uma delas ser considerada oficialmente apenas como um acesso. A maior ponte liga a avenida Coronel Galvão (próximo a Rodoviária) e a avenida Nove de Maio. Esta última é considerada a entrada oficial da cidade, com três pistas de paralelepípedos, embora muitos veículos optem por entrar ou sair da cidade por um acesso estreito, a dois quilômetros da entrada principal. Esse acesso é um pequeno trecho de terra que passa junto ao cemitério; as duas entradas têm ligação com a RS-357.

RS-357

Pela direção e sentido que ela percorre, é considerada uma rodovia diagonal. Liga a zona urbana de Caçapava do Sul ao entroncamento com a RST-473 (em trecho de estrada de chão), passando pela sede municipal de Lavras do Sul. Sua extensão total é de 82km (61 de asfalto e 21 por terra, em direção ao sul - Bagé). É a ligação fundamental de Lavras do Sul com o resto do Estado.

A rodovia é o principal acesso a Pedra do Segredo, um dos mais importantes pontos turísticos de Caçapava do Sul; percorre o Passo do Seival (uma depressão situada a cerca de 150 metros de altitude). A RS-357 corta altitudes que variam entre 440 e 130 metros.

Foi pavimentada em 1990, após muita luta dos lavrenses e caçapavanos junto ao Executivo Estadual. Apresenta um movimento tranquilo de veículos, sem a ocorrência de congestionamentos. É administrada pelo Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER).

Outras rodovias importantes:

* RS – 357: principal ligação de Lavras com Caçapava, Porto Alegre e o resto do Estado (61 km de asfalto, 12 dentro do município), e Bagé, através de estrada de chão (29 km, até a bifurcação com a RST-473, na localidade do Tabuleiro);
* RST – 473: recebe a ligação de chão da RS-357, complementando o acesso de Lavras com o Bagé (42 km). Faz ligação também com São Gabriel;
* RS – 630: percorre a região do Fundo e se liga com as outras estradas principais e à sede municipal apenas por vias municipais;
* Estradas municipais: acessos que fazem ligação com diversas localidades e vilas do território, todos de chão; o mais importante e com maior movimento é a estrada para Ibaré e São Gabriel.

Hidrovias e aeroportos: Não há hidrovias, pelo fato de os rios e arroios serem pouco volumosos e apresentarem-se bastante encachoeirados e estreitos, sendo impróprios para a navegação. Em 1992, foi construído um pequeno aeroporto municipal, para aeronaves de pequeno porte, atualmente desativado.

Ferrovias: Há uma ferrovia em Lavras, que faz parte da antiga Linha Cacequi-Marítima, que liga Cacequi ao porto do Rio Grande. Até aos anos 1990, havia a circulação de trens de passageiros na linha. Hoje, apenas trens de carga utilizam essa ferrovia. Em Lavras, há três estações ferroviárias, inauguradas por volta de 1900, mas que estão atualmente desativadas: Ibaré, João Câncio e Três Estradas. O trecho ferroviário lavrense tem cerca de 60 km.

Ônibus e táxis: Não há linhas de transporte coletivo na zona urbana, apenas transporte escolar e periódico (como vans que ligam a Praça Licínio Cardoso à Expolavras, em meados de novembro). Existem cerca de 20 táxis na cidade, além de três pontos principais, na Praça Licinio Cardoso, na Praça das Bandeiras e na Cel. Galvão, próximo a Rodoviária.

Caronas: Ocorre muito entre os habitantes a oferta de caronas em carros particulares para deslocamento, inclusive às pessoas de fora da cidade, face às inúmeras "lombas" existentes.

Meios de Comunicação

A televisão, juntamente com o rádio e, mais recentemente, a internet, são os meios de comunicação mais utilizados pelos lavrenses.

Vamos conhecer, a seguir, as características dos meios de comunicação em Lavras do Sul.

Jornais: Ao longo do século XX, Lavras já teve diversos jornais em circulação, como O Garimpeiro, O Batovi, a Thesoura, O Lavrense, O Colibri e Quero-Quero. Nas últimas décadas do século XX, a cidade carecia de publicações próprias, o que fez com que as notícias sobre Lavras fossem publicadas em jornais de Caçapava do Sul. Recentemente, em 2007, três jornais eram publicados na cidade, mas, em meados de 2008, dois deles já saíram de circulação: Tribuna do Povo, que era o maior e circulava semanalmente, e City Bar, mensal, que estampava fotos de garotas da cidade, além de divulgar eventos e anúncios de empresas do município. Existe ainda a distribuição de importantes jornais da região e do Estado na cidade, como o Jornal de Caçapava, Diário de Santa Maria, Zero Hora, Correio do Povo e Jornal do Comércio. No ano de 2008, o único jornal em circulação era o Diário de Lavras (diário e de formato pequeno).

Rádio: A cidade possui três rádios FM (101.7 FM, 104 FM e Pepita [89,7 MHz]). Esta última lançou um site na internet no ano de 2008, porém sem transmissão ao vivo, e é a mais antiga – fundada há mais de 20 anos. Apresentam uma programacao musical variada, com estilos que vao desde o rock, até pagode, passando por MPB, Tche Music, Funk e, ainda, a musica gospel. Todas as estações transmitem muita música e informação para comunidade do Município, com coberturas e transmissões especiais em eventos como o Carnaval e as Eleições. As tress rádios, juntamente com o Diário de Lavras, são os únicos meios de comunicação genuinamene lavrenses (ou seja, com sede na própria cidade).

Revistas: Não há publicação própria de revistas no município. As vendas de revistas de circulação nacional são pouco significativas, pois não há uma grande demanda das mesmas na cidade. Alguns lavrenses assinam revistas femininas e de celebridades, como Cláudia e Caras.

Televisão: As emissoras de televisão aberta sintonizadas em Lavras são: RBS TV Santa Maria (a foto acima representa um comercial local da mesma) e Record (via satélite); a TV por assinatura também se faz presente, através da SKY e da TECSAT. Lavras passou a contar com sinais de televisão em meados dos anos 1970, mas ela só se consagrou em 1988, mais ou menos na mesma época do surgimento da Pepita FM, com o início das transmissões via satélite, através de tres torres, próximas a vila da Olaria, repetindo os sinais do SBT e da extinta TV Manchete, que passaram a fazer companhia a TV Gaúcha (atual RBS TV Santa Maria, afiliada da Rede Globo), que foi a primeira retransmissora de TV da cidade. Atualmente, são repetidos os sinais da Record (via satélite, do centro do País) e da RBS TV Santa Maria, que é o canal de maior audiência na cidade. Não há produção própria de programas de TV. No entanto, a RBS TV Santa Maria produz e exibe esporadicamente reportagens sobre a cidade. Em muitas casas, devido a pouca variedade de canais abertos, podem-se encontrar antenas parabólicas. Não há TV a cabo na cidade, mas a TV por assinatura é representada pela TECSAT e pela SKY, através de antenas e decodificadores especiais.

Telefonia fixa: A empresa que provém, com exclusividade, serviços de telefonia fixa em Lavras do Sul é a Brasil Telecom. O código de área de Lavras é 55; Em 2006, estavam cadastrados 1 117 terminais telefônicos. A telefonia fixa existe na cidade desde os anos 1970. Com o grande avanço das telecomunicações ocorrido nas últimas décadas e a expansão do setor, hoje é possível fazer uma ligação telefônica de Lavras para qualquer lugar do mundo.

A sede municipal possui cerca de 40 telefones públicos, espalhados em diversos pontos do centro e arredores, além de locais como a Prefeitura, escolas e praças.

Telefonia celular: O telefone celular é outro elemento muito popular e fundamental na cidade: até mesmo pessoas de baixa renda possuem pelo menos um celular habilitado, ainda que seja pré-pago. As operadoras de telefonia móvel em atividade no Município são a Vivo, Claro e TIM.

Internet: A internet, em Lavras, pode ser acessada através de linha discada e banda larga, pelo provedor Farrapo, de Caçapava, ou por outros provedores. Um dos maiores fenômenos da comunicação lavrense nos últimos anos, sem dúvida, foi a popularização da internet. Com a expansão da banda larga via rádio, e mesmo para os usuários de acesso discado, qualquer habitante hoje, não importa a idade ou condição social, possui uma página no Orkut (o mais popular site de relacionamentos da internet no Brasil) e um MSN, para bate-papo. As crianças e adolescentes são as faixas etárias que mais utilizam os recursos de Orkut e MSN. Colegas e amigos(as) dedicam várias horas do dia para sua comunicação, seja para trocar idéias, homenagear e cultivar suas amizades ou, até mesmo, namorar.

Correios: Há uma agência dos Correios na rua Dr. João Bulcão, fazendo com que a cidade conte com serviço postal interligado com o Brasil e o Mundo. O distrito do Ibaré também conta com uma agência.
Os Códigos de Endereçamento Postal (CEP's) do Município são:
* Lavras do Sul (sede municipal): 97.390-000
* Ibaré: 97.395-970

Saneamento Básico

No ano 2000, segundo dados do IBGE, Lavras do Sul apresentava 2 444 economias (clientes) registrados, sendo que 2 171 eram residenciais, e 273, variados.

Ainda, segundo a mesma fonte, o Município tem 2 411 ligações de água, 898 delas ligações com hidrometro (aparelho que mede o consumo de água).

Em 1991 (segundo as Nações Unidas, a partir das pesquisas de desenvolvimento humano realizadas no Brasil), 74,6% da população lavrense tinha acesso a água; em 2000, o índice já alcançava 90,7%.

A rede distribuidora de água, no ano 2000, era de 32 km de extensão. O volume de água distribuído por dia é, segundo o IBGE (2000), de 1 402 m3 (metros cúbicos) por dia.

Na atualidade, mais famílias, tanto na zona urbana quanto na rural, estão tendo acesso ao abastecimento de água, graças aos constantes programas de extensão e abastecimento de água de diversas comunidades, realizados pela Prefeitura Municipal e pela Secretaria Municipal de Obras e Saneamento.

A água oferecida no Município é de boa qualidade e própria para consumo. A Companhia Estadual de Saneamento (Corsan, foto da estação de tratamento, localizada no centro da cidade, ao lado) é a responsável pela distribuição de água e tratamento de esgoto em Lavras.

A coleta de lixo é realizada pelo menos tres vezes por semana na zona urbana, onde 94,7% dos domicílios são atendidos. Em 1991, esse número era de 86,8%.

© 2018 - Murilo de Carvalho Góes