Bandeira de Lavras do Sul - 2012


Confira o material alternativo do Panorama Lavrense para o Concurso Municipal de Prendas, realizado em 2017.

TRADICIONALISMO

O lavrense é, por excelência, um apaixonado por sua terra. Mesmo morando distante, não importando onde esteja, jamais perde o orgulho de ter nascido no Município.

A cultura gaúcha está bastante presente nos hábitos e costumes do povo de Lavras.

A cultura lavrense se dá em diversos hábitos, como a pausa para o descanso depois do almoço (o comércio, com algumas exceções, fecha entre 12h e 14h); os rodeios, realizados todo o ano, nos locais tradicionalistas, como a Associação José Benito Chiappetta (saída para Bagé), e outras pistas espalhadas pelo território lavrense; As músicas tradicionalistas, bailes com grupos e cantores regionais; e o hábito de andar a cavalo, inclusive na zona urbana.

Nos anos 2010, surgiu o CTG Querência das Lavras, organizado pela patroa Maria Regina de Azevedo Souza, que substituiu o CTG Lanceiros do Batovi. Ainda sem sede fixa, realiza tradicionais jantares e bailes no Clube Comercial, no Clube dos Subtenentes e Sargentos, além de manter um grupo de dança mirim. Em 2017, mais um CTG surgiu em Lavras do Sul: o CTG Marco das Águas, coordenado por Mariana Duarte, que também possui grupo de dança e dá apoio ainda ao Grupo de Arte Nativa Herdeiros de Bravos.

Atualmente, existem 2 CTG's (Centros de Tradições Gaúchas) e vários PTG's (Piquetes Tradicionalistas) atuando no Município. Alguns deles abaixo:

1. CTG Querência das Lavras
2. CTG Marco das Águas
2. PTG Quero Quero
3. PTG Lagoa Negra
4. PTG Querência Xucra
5. PTG Santa Cândida
6. PTG Presilha do Rio Grande
7. PTG Tropilha das Marcas
8. PTG Tropilha Aragana
9. PTG Cia do Laço
10. NCCCLS (Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Lavras do Sul)
11. PTG Parceiros da Querência
12. PTG Rincão dos Tordilhos
13. PTG Lenço Amarelo
14. PTG Rincão dos Saraiva
15. PTG Coração de Potro
16. PTG Marca de Casco
17. PTG Lida Campeira
18. PTG Lida Bruta
19. PTG Cavaleiros da Chama Crioula

Um típico costume lavrense é o uso do cavalo. Os peões, muitos deles jovens, podem ser vistos com suas pilchas, botas, guaiacas e trajes típicos que caracterizam estes tipos humanos, que fazem Lavras e o RS possuirem a sua identidade e sua própria cultura.

O nativismo - variante de estilo musical gaúcho marcada por letras que exaltam a vida no campo - é bastante difundido no RS, sobretudo nas regiões de fronteira com a Argentina e o Uruguai e em cidades, como São Francisco de Paula, nos Campos de Cima da Serra (nordeste do Estado).

Lavras do Sul, por sua essência e natureza no Tradicionalismo e na cultura gaúcha, projeta diversos compositores nativistas, todos de renome na cena tradicionalista regional, estadual e, até mesmo, nacional. As composições, que refletem temas ligados à lida do gado, ao campo, ao inverno ou até homenagens a Lavras e suas belezas naturais, são reconhecidas e reproduzidas no cenário gaúcho e brasileiro da música produzida no Interior.

O Dia 20 de Setembro é o Dia do Gaúcho, data alusiva à Revolução Farroupilha. Todos os anos, os desfiles farroupilhas acontecem na Rua Dr. Pires Porto, tradicionalmente, sempre à tarde. Cerca de 1.500 cavalarianos distribuídos em mais de 20 piquetes tradicionalistas gaúchos (PTG's) enaltecem as tradições da nossa terra.

A caráter, peões e prendas celebram as tradições com atividades que duram uma semana, em setembro, e culminam com o Desfile Farroupilha (em 2015 este não foi realizado devido a epidemia de mormo, doença que atinge cavalos, mas em 2016, o desfile voltou a sua normalidade).

Na semana seguinte à Semana Farroupilha da Sede Municipal (sempre realizada no Galpão Crioulo da Praça das Bandeiras), acontece a Semana Farroupilha do Ibaré, com diversas atividades típicas, movimentando o Segundo Distrito. O desfile da Sede, no dia 20 de setembro, é realizado nas ruas centrais de Lavras do Sul, entre elas a Rua Dr. Pires Porto; na via principal do Ibaré, no domingo posterior ao 20 de setembro, ocorre o desfile da Semana Farroupilha local.